Café especial: grãos destinados à bebida exigem cuidados de manejo/ Special coffee: beans intended for beverage management require care

Café especial: grãos destinados à bebida exigem cuidados de manejo

O café é a segunda bebida mais consumida no Brasil, perdendo somente para a água, com ingestão aproximada de 81 litros/habitante/ano, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), realizada em 2014, em parceria com a Embrapa Café. Com cores, sabores e aromas diversos, as condições naturais propícias (solo, clima e altitude), a variedade da espécie e as práticas de manejos nutricionais e fitossanitários impactam diretamente na qualidade final do grão oferecido.

A produtora de café arábica, Leda Castelani, de Monte Santo de Minas (MG), explica que para a produção do café especial é necessário estar atento a diversos aspectos. “São várias regras que você tem que observar para fazer um café de qualidade até a maturação”, afirma a produtora que foi vencedora do 25º Prêmio Ernesto Illy de Qualidade do Café para Espresso na região Sul de Minas e ficou em 3º lugar no ranking nacional.

 

Special coffee: beans intended for beverage management require care

Coffee is the second most consumed beverage in Brazil, only behind the water, with approximate consumption of 81 liters per capita/year, according to a survey by the Brazilian Association of Coffee Industry (ABIC), held in 2014, in partnership with Embrapa café. With colors, different flavors and scents, the favorable natural conditions (soil, climate and altitude), the variety of species and the practices of nutrition and phytosanitary managements directly impact the final quality of the grain offered.

The producer of Arabica coffee, Leda Castelani of Monte Santo de Minas (MG), explains that for the production of specialty coffee is necessary to pay attention to several aspects. “There are several rules that you have to watch to make quality coffee to maturity,” says producer who won the 25th Award Ernesto Illy Coffee Quality for Espresso in the South of Minas and was in 3rd place in the country .

Production

 

Production
Brazil is the largest producer and exporter of coffee in the world and cultivates two kinds of coffee: Coffee Arabica and Coffee Canephora. The first is the Arabica coffee, demanded in high quality blends, the second is the Robusta coffee, also known as Conilon in Brazil and used in the instant coffee industry.
According to the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply (MAPA), the national coffee crop is estimated at 2.25 million hectares and comprises a total of approximately 290 000 producers, mayority small, which are spread over approximately 1,900 municipalities

Produção
O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo e cultiva duas espécies de café: Coffea Arabica e Coffea Canephora. O primeiro é o café arábica, demandado em blends de alta qualidade, o segundo é o café robusta, também conhecido como conilon no Brasil e utilizado na indústria de café solúvel.
Segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), o parque cafeeiro nacional é estimado em 2,25 milhões de hectares e compreende um universo de cerca de 290 mil produtores, a maioria pequenos, que estão espalhados por aproximadamente 1.900 municípios

 

CAFƒFoto: JosŽ Gomercindo/SECS

Consumo de Café / Coffee Consumption

Os consumidores nos dias de hoje parecem ter uma sede insaciável de café. Apenas nos próximos cinco anos, a demanda global para o café vai aumentar 25%, de acordo com a Organização Internacional do Café.
Mesmo na China, uma nação de bebedores de chá, o consumo anual de café tem crescido a taxas de dois dígitos ao longo dos últimos dez anos, e as empresas estão com previsões otimistas sobre o futuro.

Consumers today seem to have an insatiable thirst of coffee. According to the International Coffee Organization, only in the next five years, global demand for coffee will increase 25%.
Even in China, a nation of tea drinkers, the annual coffee consumption has grown at double-digit rates over the last ten years, and companies are optimistic with predictions about the future.

Colheita no Brasil / The harvest in Brazil

Apesar do avanço da colheita no Brasil, alguns produtores do Sul de Minas Gerais, principal região produtora do Brasil, precisaram paralisar os trabalhos no campo por conta da umidade e das chuvas. A maior umidade nos cafés, tanto no terreiro como no armazenamento, favorece a proliferação de microorganismos que comprometem a qualidade dos frutos e depreciam o produto no mercado.

Despite the advance of the harvest in Brazil, some producers in the South of Minas Gerais, the main producing region of Brazil, had to halt work on the field because of the humidity and rain. The higher humidity in cafes, both in the yard and in storage, favors the proliferation of microorganisms that compromise the quality of the fruits and depreciate the product on the market.

Safra de café do Brasil 2016/17 deve subir a 55,95 milhões sacas/ Brazil 2016/17 coffee crop is expected to rise to 55.95 million bags

A produção de café do Brasil da temporada 2016/17 foi estimada em 55,95 milhões de sacas de 60 kg, uma alta de 6,55 milhões de sacas ante a temporada anterior, devido A “expectativas de produtividade mais altas para o café arábica em importantes áreas produtoras”, disse nesta quinta-feira o Adido Agrícola dos Estados Unidos no país, em relatório.
A produção de café arábica em 16/17 foi estimada em 43,85 milhões de sacas, uma alta de 21 por cento ante a safra anterior, com perspectivas de que “os números possam até melhorar mais ao longo da colheita, devido às expectativas de melhores produtividades no beneficiamento e à qualidade dos grãos”, explicou o órgão.
O dólar comercial apresentou elevação de 1,32% frente ao seu desempenho da semana passada, sendo cotado a R$ 3,5702 na quinta-feira. O desempenho da divisa norte-americana foi puxado pela realização de ajuste das posições provocado pelo tom mais firme da ata do Federal Reserve (FED, banco central dos EUA) divulgada na quarta-feira, a qual sinalizou a possibilidade de uma elevação na taxa de juros nos Estados Unidos já no próximo mês.

Brazil Coffee production of the 2016/17 season is estimated in 55.95 million bags of 60 kg, an increase of 6.55 million bags from the previous season due to the “highest productivity expectations for the arabica coffee in major producing areas”, he said Thursday the US Agricultural Attaché in the country, in a report.
The production of Arabica coffee in 16/17 was estimated at 43.85 million bags, up 21 percent from the previous crop, with the prospect that “the numbers may even improve more over the harvest, due to expectations of best productivity in processing and grain quality”, explained the agency.
Commercial dollar increased 1.32% compared to the performance from last week, quoted at R $ 3.5702 on Thursday. The performance of the US currency was driven by the completion of adjustment of positions caused by the firmer tone of the Federal Reserve minutes (Fed, central bank US) released on Wednesday, which signaled the possibility of a rise in the rate of US interest rates as early as next month.

Chuvas / Rains

Chuvas continuam na faixa central do Brasil ao longo desta quinta-feira (19). Região do Sul de Minas as chuvas ainda não atrapalham os trabalhos nos campos, mas produtores seguem atentos às previsões climáticas. Continuidade das precipitações pode afetar a qualidade dos grãos. Cafeicultores esperam recuperar parte das perdas registradas nos dois últimos anos devido à falta de chuvas.

Rains continue in the center lane of Brazil along this Thursday (19). South of Minas region rainfall does not hinder the work in the fields, but producers follow attentive to weather forecasts. Continuity of rainfall can affect the quality of the beans. Coffee growers expect to recover some of the losses recorded in the past two years due to lack of rain.

Positive Week / Semana Positiva

The future coffee closed last Friday slightly higher on the New York Stock Exchange. The shares due in July closed with a gain of 5 points, at US $ 1.3010 cts/lb. The commodity has accumulated in the last week, a rised of 365 points or 2.89%.
Also contributed to the increase of the coffee price on Friday the drought in producing regions of Asia, such as Indonesia and Vietnam, which produce the Robusta species. Speculation about the crop 2016/17 in Brazil, which has already begun to be harvested and will be probably large, have helped to contain more significant increases in the US stock market.

Os futuros de café fecharam a última sexta-feira em leve alta na bolsa de Nova York. Os papéis com vencimento em julho encerraram com valorização de 5 pontos, a US$ 1,3010 a libra-peso. Com isso, a commodity acumulou, na última semana, uma alta de 365 pontos ou 2,89%.
Contribuíram também para o aumento da cotação do café na sexta a seca em regiões produtoras da Ásia, como Indonésia e Vietnã, que produzem a espécie robusta. As especulações sobre a safra 2016/17 no Brasil,que já começou a ser colhida e deve ser volumosa, têm ajudado a barrar altas mais expressivas na bolsa americana.